Fusões e Aquisições em 2024: o papel da Due Diligence
Fusões e Aquisições em 2024: por que a Due Diligence é fundamental?
Compartilhe:
Assine nossa newsletter

Fique por dentro das melhores notícias, eventos e lançamentos do mercado




    Fusões e Aquisições em 2024: por que a Due Diligence é fundamental?

    Publicado em: 9 de fevereiro de 2024

    À medida que avançamos no ano, podemos vislumbrar tendências que darão forma ao mercado de fusões e aquisições em 2024.

    O ambiente global de fusões e aquisições (M&A) está em constante transformação, impulsionado por uma interação complexa de fatores econômicos, tecnológicos e regulatórios. À medida que avançamos no ano, conseguimos vislumbrar tendências que darão forma ao mercado de fusões e aquisições em 2024 e impactarão as estratégias corporativas. Confira a seguir as previsões para esse horizonte:

    Tendências para Fusões e Aquisições em 2024

    Foco Intenso em Tecnologia e Inovação

    À medida que a competitividade exige a transformação digital, a área de tecnologia receberá uma atenção ampliada nas transações. Empresas buscarão aquisições estratégicas para reforçar suas habilidades em áreas como digitalização, inteligência artificial, automação e cibersegurança, impulsionando, assim, a inovação e a eficiência operacional.

    Setores Emergentes e Sustentabilidade

    Setores em ascensão, como energias renováveis, saúde digital e mobilidade sustentável, poderão assumir papéis de destaque nas transações em 2024. Por isso, o aumento da consciência em relação a questões ambientais e sociais motivará fusões e aquisições voltadas para a sustentabilidade e a responsabilidade social corporativa. Olha o ESG aí!

    Globalização Seletiva

    Apesar de enfrentar desafios decorrentes de questões geopolíticas e pandêmicas, observa-se uma tendência de crescimento na adoção da globalização seletiva. Além disso, as empresas buscarão oportunidades em mercados estratégicos e estabelecerão parcerias internacionais, ao mesmo tempo em que adotarão uma abordagem cautelosa para lidar com a volatilidade global.

    Resiliência e Adaptação

    A persistente incerteza econômica pode motivar a adoção de fusões e aquisições como uma estratégia para reforçar a resiliência e facilitar a adaptação a mudanças imprevistas. Assim, empresas buscarão diversificação e flexibilidade como meio de enfrentar cenários econômicos em constante transformação.

    Aumento da Atividade em Setores Específicos

    Indústrias como tecnologia da saúde, fintech, e-commerce e infraestrutura digital devem vivenciar um aumento significativo na atividade de fusões e aquisições. Ou seja, as empresas buscarão fortalecer sua posição em setores que demonstraram crescimento sólido.

    Transformação Setorial Acelerada

    A pandemia impulsionou uma rápida transformação setorial em várias indústrias, e essa tendência de aceleração deverá persistir. Empresas que não conseguirem se ajustar prontamente às mudanças do mercado podem se tornar alvos para processos de fusões e aquisições.

    Avaliações mais Cautelosas

    Apesar do otimismo predominante, prevemos que as empresas adotarão avaliações mais cautelosas e realizarão diligências rigorosas antes de avançar com transações. Além disso, as experiências recentes do mercado destacam a crucial importância de compreender integralmente os riscos e oportunidades envolvidos.

    Fusões e aquisições em 2024: a importância da Due Diligence

    Nesse cenário, onde aceleração, inovação e precaução se destacam no discurso do mercado, a realização de uma das etapas mais essenciais no processo de Fusões e Aquisições, a condução de Due Diligences, se mantém como um componente crítico. Essa prática desempenha um papel central na mitigação de riscos e no sucesso geral das transações, envolvendo uma investigação minuciosa e abrangente dos aspectos financeiros, legais, operacionais e estratégicos de uma empresa-alvo.

    Em resumo, as Due Diligences desempenham um papel essencial para o êxito nas transações de Fusões e Aquisições (M&A). Ao compreender integralmente os riscos e oportunidades associados à empresa-alvo, os compradores podem tomar decisões fundamentadas, aumentando as chances de uma integração tranquila e um retorno positivo sobre o investimento. À medida que seguimos no ano de 2024, o cenário de fusões e aquisições apresentará indícios robustos de que permanecerá dinâmico e repleto de oportunidades.

    Empresas que estiverem em busca de crescimento, inovação e resiliência deverão manter-se atentas a essas tendências, adaptando suas estratégias para prosperar em um ambiente de negócios em constante evolução. Assim, o ano promete ser um capítulo empolgante na história das fusões e aquisições, caracterizado por transformações profundas e oportunidades estratégicas singulares.

    Sobre a autora

    Noelle Martins Teixeira, consultora especializada em Due Diligence na Protiviti Brasil.

    Compartilhe:

    Publicações relacionadas

    Diligência de fornecedores: como garantir qualidade e conformidade na cadeia de suprimentos?

    21 de novembro de 2023

    A gestão eficaz da cadeia de suprimentos tornou-se uma prioridade. Uma parte essencial desse processo é a diligência de fornecedores

    Leia mais

    Como a diligência de terceiros contribui para as boas práticas ESG?

    28 de novembro de 2022

    Entre as ferramentas do Compliance está a Diligência de Terceiros, conjunto de pesquisas para mapear os riscos de contratar um terceiro

    Leia mais

    Como a tecnologia pode mudar a gestão de riscos para advogados?

    25 de janeiro de 2022

    Com a redução de custos que a tecnologia permite, o gerenciamento de riscos pode ganhar um novo capítulo para escritórios de advocacia de todos os tamanhos e ramos, e a Aliant se insere como plataforma digital que permite uma gestão mais eficaz em mais de 1700 fontes públicas e abertas. Isto é a democratização do acesso às ferramentas de Background Check e Due Diligence, e que será um diferencial para o advogado a se destacar dentre os estimados 2 milhões de profissionais para o ano de 2023.

    Leia mais

    Due Diligence e o paradoxo da ignorância

    2 de agosto de 2021

    Para quê serve a Due Diligence e o porquê de contratar uma equipe multidisciplinar para realizá-la.

    Leia mais